Mindfulness

Fds Terra do Sempre e Comporta (pf)-35

Muitas vezes preciso de escrever para guardar memórias. Nem sempre escrevo aqui, tenho um caderno guardado muito especial. Hoje apeteceu-me partilhar um pouco mais de mim e da minha familia aqui. Nem sempre é fácil este exercício de expormos certas fragilidades, certos anseios nossos…

Desde que a Clara nasceu muita coisa mudou na minha forma de estar e de ver a vida. A maternidade tem sido um ensinamento enorme e tem-me tornado, a cada dia, uma pessoa melhor. Sou uma pessoa insegura e descobri hoje que devia ter mais auto-estima. Acabei agora de ler o livro, “Educar com Mindfulness” da Mikaela Övén, que me tem ajudado a ter a consciência daquilo que quero como mãe e como pessoa para a minha familia e até para mim própria. Há uma parte do livro que fala da auto-estima da criança e da sua importância ao longo da vida, das suas causas e consequências. Foi aí que percebi aquilo que é algo que devia trabalhar mais em mim. A auto-estima é o centro do nosso ser enquanto ser estruturado, forte, consistente. A auto-estima permite-nos aceitar aquilo que de menos bom temos para conseguirmos um dia mudar. A auto-estima poupa-nos muitas frustrações, muita raiva, muito isolamento. A auto-estima é como um porto seguro dentro de nós mesmos que, apesar do medo, não nos faz vacilar quando o mundo treme e a vida nos surpreende. Descobri que afinal devia ter mais disto. Todos nós temos as nossas fragilidades e ninguém é perfeito, mas quando não as aceitamos é muito mais difícil lidar com elas. E ao ler este livro percebi isso, algo tão óbvio mas que nunca tinha racionalizado desta forma (no fundo nunca tinha pensada nessa perspectiva). Tento ao máximo dar à Clara uma educação com base na parentalidade positiva, sobre o qual tenho lido muito (e também tenho partilhado aqui), e esta forma de estar e de ver a vida tem-me ajudado muito a mim própria também, na forma como lidar comigo mesma em certas situações e até com os outros.  Uma delas é a de viver o momento em pleno, viver com a consciência do presente e aproveitá-lo ao máximo. Engraçado porque consigo fazer isto com muito mais facilidade quando brinco com a Clara. Mas na minha vida, no meu dia-a-dia, nas minhas tarefas e nos meus escapes nem sempre é fácil. E é claro há fases da vida mais difíceis que outras de sentir esta plenitude. Por isso é que a fotografia é também uma terapia para mim, porque esse é um dos momentos em que estou ali, focada, presente, entregue à máquina e ao momento, concentrada, e sabe-me tão bem. Agora o importante é conseguir pôr em prática esta forma de estar na vida em tudo o que faço, em cada momento, em cada bocadinho. Saber tirar o bom de cada pessoa com quem me cruzo e de cada momento que vivo. Fico orgulhosa quando a cada dia sinto que já conquistei mais um bocadinho desta tranquilidade e confiança na vida. Confesso que as redes sociais são o que mais me distrai neste exercício. Somos hoje vitimas de viver em rede constante e às vezes a nossa vida particular fica para segundo plano porque estamos num café a ver o instagram, a ver a vida dos outros em vez de viver a nossa! E isto parece-me um mal comum, desta sociedade…

A minha profissão de fotógrafa, requer estar sempre atendo às redes sociais, expor também a minha vida, a da minha familia e eu não sou muito boa nisso mas quando o faço, faço-o com naturalidade. Exponho aquilo com que me sinto confortável, nuns momentos falo mais, noutros menos. Mas aquilo que escrevo é sempre honesto, sincero e genuino.

A Carminho está quase a nascer e vai ser mais um desafio na minha vida. Estou confiante e feliz nuns momentos (maioria felizmente) e aterrorizada noutros. Acho que faz parte! Vai mudar muita coisa, quase tudo para melhor, assim espero.

Este ultimo mês antes de a ter nos meus braços vai ser de muita reflexão, muitas leituras, muita escrita e muito mimo à filha única. Vou começar a preparar as roupas, as malas e a casa para receber esta mini índia de braços e coração abertos <3

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*