Já lá vão 4 anos…

Collagem pequena-1

Faz hoje 4 anos que nasceu o meu sonho, o projecto Teresa Noéme Fotografia. Transformei uma paixão de tempos livres num profissionalismo de segundo emprego. Ninguém acreditava muito, e sinceramente, eu própria tinha as minhas dúvidas de que poderia ser um sucesso. Valeu-me o empurrão de uma amiga que acreditou (mais até do que eu!), que me ajudou e me atirou ravina abaixo sem sabermos que 4 anos depois, este projecto seria o meu modo de vida. A essa amiga devo um agradecimento desmedido que acho que nunca vou conseguir pagar. Na avalanche da queda, conheci outras pessoas, outras profissionais da área que também foram fundamentais no meu crescimento. Uma em especial, amparou-me a queda, ajudou-me a sacudir o pó e a sobreviver neste meio de freelancer e relação de clientes. Ela deu-me muito, principalmente naquilo que mais precisava na altura: contactos, conhecimento e experiência! Se calhar de outra forma não teria chegado até aqui.

O primeiro verão foi extenuante. Entre o trabalho das 9 às 6, as noites de edição e os fins-de-semana de sessões sobrou-me muito pouco tempo para uma vida social “normal” e até para dormir. Acabou o verão e pude fazer um balanço: tinha dado certo. Todo o esforço e dedicação transformou-se em admiração e reconhecimento desse lado. Esse lado que é o motor deste projecto, que constantemente me desafia e me faz ser uma pessoa e profissional melhor. Esse lado sem o qual nada disto seria possível. A esse lado, e a cada um individualmente que me lê, admira, partilha, comenta e recomenda, um agradecimento profundo e sincero :)

No inverno o ritmo acalma e é hora de fazer balanços, congeminar ideias, parar para pensar, investir em conhecimento e material. E assim foi. Mas rapidamente chega novamente o verão, quente e mais uma vez com muito trabalho do bom! Fiquei novamente muito cansada e com pouco tempo para mim e para os amigos com o ritmo de dois empregos. Era muito importante ponderar as prioridades profissionais no inverno seguinte. Inverno esse em que a índia cresceu na minha barriga. Com um bebé nos braços, a pressa de decidir o meu futuro profissional foi urgente. Era impossível conciliar a vida familiar com dois empregos. Na minha cabeça a decisão foi muito fácil de tomar: trocar o certo pelo incerto, o salto alto pelos ténis, o horário fixo com a agenda gerida por mim, o patrão pela liberdade. Mas não foi fácil assumir esta decisão principalmente porque, apesar da incerteza de um novo rumo, havia a certeza de uma familia maior e da necessidade de alguma estabilidade, também financeira.  Arrisquei. Caminhei. Atirei-me mais uma vez, empurrada desta vez, pelo amor da minha vida que nunca me largou a mão. E este apoio, este ombro, este amor é o que me faz ser forte para aguentar os momentos mais complicados, mais incertos, mais duvidosos.

Esta vida de freelancer, sem patrões e sem certezas tem tanto de boa como de inconstante quer em sentimentos, quer em certezas. Na verdade é uma incerteza só, carregada de trabalho e dedicação, de motores que são vocês, de astros alinhados e de pessoas maravilhosas que me ensinam tanto com quem tive e tenho o privilégio de me cruzar.

Esta vida incerta é a certeza de que sou feliz e realizada. Aqui e agora. Depois não sei. Depois logo se vê. Depois reinventa-se o sonho, na certeza de que a vida é só uma e o importante é o aqui e agora. A maternidade ensinou-me que não há certeza que dure sempre e não há verdade que seja só e sempre verdadeira.

Obrigada ao motor deste projecto! Que por vossa causa venham muitos mais anos como estes quatro :)

O carnaval está a chegar

Nunca liguei ao carnaval, nem sequer quando era pequena adorava as máscaras. Está tão pouco presente na minha cabeça que só soube que estava aí a chegar porque uma amiga me perguntou de que ía mascarar a Clara. Engoli em seco… Quem me conhece sabe que sou uma zero à esquerda com trabalhos manuais mas pensei que este ano me ía esforçar e fazer eu (com ajudas claro) a máscara da minha filha. Primeiro passo foi pensar que máscara (fácil e gira) seria. Segundo passo foi ir ao mundo fabuloso do pinterest e do google encontrar ideias e videos de algo que conseguisse por em prática. Terceiro passo (o mais importante) foi a ajuda preciosa de uma amiga maravilhosa que tem muito jeitinho para estas coisas espectacular! Quarto passo (realizado hoje) ir comprar a matéria prima. Quinto passo (até fico com medo só de pensar) é por mãos à obra!

Vamos lá, estou cheia de motivação e esperança que fique mesmo giro. E claro que só estou confiante porque aquela minha amiga maravilhosa me vai ajudar! És um espectáculo!!! Que o primeiro de muitos carnavais seja um sucesso. Daqui a uns dias já vos mostro a obra prima :)

Que os festejos comecem e se dance o samba!

Nascer em Amor

Sou mãe há 16 meses e desde que engravidei que me deparei com muitos temas tabus, muitos mitos da maternidade e muitos comentários e pressões que não eram sequer justos. Porque é que todas as mães têm que preferir parto normal? Porque é que todas as mães têm que amamentar em exclusivo até aos 6 meses? Porque é que dar de mamar a um bebé de 3 anos não faz sentido? Porque é que ter um parto na água é esquisito? Porque é que a gravidez tem que ser sempre linda e perfeita? E tantos outros porquês… As mães vêm-se numa sociedade estereotipada que entra em movimentos em que se acredita como sendo os únicos certos e, pior de tudo, em que se julga tanto. Aprendi que a gravidez não tem que ser sempre maravilhosa e cada mulher a sente da sua maneira. Aprendi que a amamentação não é uma coisa simples e natural, que é dolorosa, que é difícil, que é exigente e que é um grande tabu. Aprendi que há mães que escolhem não amamentar e não são menos mães por isso. Aprendi que o leite nem sempre dura o tempo que se quer, e que não são menos mães por isso. Aprendi que há coisas que não se dizem a uma recente mãe. Aprendi que os bebés têm os seus ritmos e têm que ser respeitados e são todos diferentes. Aprendi que ser mãe pela primeira vez é tão maravilhoso quanto assustador. Mas aprendi também que existe uma comunidade linda de mães sensatas, reais e tolerantes que se ajudam, que partilham experiências e que, no fundo, todas têm o mesmo propósito: fazer o melhor pelos filhos. E não devia ser julgada a mulher que não quer amamentar, que não quer parto normal, ou até que não quer ter filhos! Antes de sermos mães somos mulheres que sentimos e pensamos cada uma de sua forma, nenhuma certa ou errada. Ser mãe é dar o melhor de si aos seus filhos, o seu amor. Isto é uma grande verdade! Aproveitem e participem no primeiro workshop da associação portuguesa da mulher na gravidez e parto, vai ser de certeza muito interessante :)

É natal

É natal e eu nem dei conta do tempo passar. Este ano, deve ter sido a primeira vez que comprei os presentes mais em cima da hora! A india está doente com uma valente gripe. Tivemos que ir ai hospital mas felizmente não é nada de mais. Fico com o coração mínimo ao vê-la assim e o natal vai ser passado em casa de molho! Sei que vai ter muitos mimos e presentes que a vão deixar muito feliz mas infelizmente não vai poder brincar com os primos :(  O ano passado passou os dias de natal a dormir, para sossego dos pais e “irritação” da familia :) Este ano vai ser muito diferente, porque já iria perceber melhor a festa e ía ser uma brincadeira pegada com os miúdos todos em correrias. Espero que para o ano estas malvadas gripes não nos preguem nenhuma partida!

Eu sei que ainda não é tempo de fazer o balanço do ano que está a acabar, mas não quero deixar passar esta quadra que é propensa às lamechices, para vos agradecer  do fundo do coração a todos os que me seguem, lêem, gostam do meu trabalho e às minhas familias lindas! Este ano foi muito importante para mim a nível profissional e nada do que consegui era possível sem vocês. Sou eternamente grata pela sorte que tenho e por todas as familias maravilhosas que conheci :) Um feliz natal a todos, cheio de paz e mimos <3

Há um ano atrás foi assim… eras uma fofa com um cabelo muito esquisito! ahahahah

Eu e a bimby

Cá em casa este ano tivemos uma nota excelente em comportamento, só pode! O pai natal, além de ter chegado mais cedo, deu-nos um presentão: uma bimby! Confesso que nem sempre fui fã, sempre achei que com filhos é que iria dar muito jeito, e posso desde já garantir que é mesmo verdade, faz-nos poupar imenso tempo em tantas refeições. Mas a minha primeira experiência com a bimby não foi a melhor… Sim, que este post não é de todo publicitário mas é apenas para partilhar o nosso primeiro encontro… Vou passar à introdução:  eu não gosto de cozinhar e raramente cozinho cá em casa. Aquilo que gosto de fazer são doces, scones e crepes! Mas no dia a seguir a termos este brinquedo novo em casa decidi fazer o jantar: açorda de tomate! Digam lá se não escolhi uma receita simples?! Simples ou não, o meu conceito de que na bimby, pomos tudo lá dentro e sai o jantar feito desta vez não resultou assim tão bem… Acabei por por tudo lá para dentro incluindo o pão e a água logo no inicio e, apensar de estar óptimo de sabor e cheirinho, a textura estava intragável! Lição numero 1: ler com mais atenção a receita. Lição numero 2: a bimby é espectacular mas não faz magia. Lição numero 3: mesmo com bimby, deixa a cozinha para quem sabe e limita-te a fazer sopas, bolos e crepes! Aproveito para ilustrar esta minha aventura uma fotografia da minha índia e a sua primeira sopa. Tão pequenina, como o tempo voa (e naquela fase com um cabelo esquisito)… Não foi feita na bimby, mas podia :)

“Como é que as fotografias aparecem?”

Esta era a grande questão que os meninos da sala da Marta tinham, e lembraram-se de me convidar para lhes explicar como tudo funciona e como é ser fotógrafa de profissão. Não foi fácil encontrar uma maneira de explicar a meninos de 3, 4 e 5 anos o que é a minha profissão porque a resposta deles é que a mãe e o pai também são fotógrafos porque nos fins-de-semana e nas férias também tiram muitas fotografias. Mais complicado ainda foi explicar como funciona uma máquina! Armei-me em artista e tentei fazer um desenho simples para que percebessem os principais componentes e também a diferença de máquinas de rolo e digitais. Tinhamos exemplos de várias máquinas que mostrei por dentro, claro que deliraram! Acabámos no recreio a tirar imensas fotografias e a ver o resultado na máquina! Eu adorei a experiência, diverti-me imenso! Pelo feedback que recebi depois, parece que eles também adoraram e perceberam tudo! Não foi fácil tentar encontrar uma linguagem que eles entendessem, mas o objectivo foi cumprido! Pelo que fiquei a saber, sou linda e igual à Violetta! Acho que não podia ter recebido maior elogio porque não deve ser nada fácil estar ao nível dela. Parece-me a mim que este mundo da Violetta (que ainda não chegou cá a casa mas está para breve) está carimbado nos olhos daquelas meninas de tal forma que já a vêem em todo o lado 😉 No final queria ter perguntado se algum deles queria ser fotógrafo quando fosse grande, já não houve oportunidade,mas fiquei com pena porque gostava muito de ter sabido a resposta! Obrigada querida Marta :)

 

http://saladamartareis.blogspot.pt/2015/11/como-e-que-as-fotografias-aparecem.html

Por aqui…

…andamos a mil, entre edições de sessões anteriores às férias, edições das fotografias das férias, preparação de sessões no fim-de-semana e a organização da festa da índia, ainda não parei! ufa! Espero muito em breve mostrar as fotografias das nossas férias que já parece que acabaram há tanto tempo. Voltar às rotinas não é fácil, principalmente com uma bebé cheia de mimo que se habitou durante quase 3 semanas à mãe e ao pai 24h por dia. Fazer o desmame deste mimo aos poucos e trabalhar no meio disto tudo é um desafio. Sinto que a cada dia está a ser superado, mas há momentos de desespero em que nada melhor que ir à janela respirar bem fundo :) Mas a verdade é que este modo de “só quer a mãe, só quer a mãe” às vezes também me sabe muito bem! Mimo bom <3

Inspiração

Entre preparação das férias, edições, sessões, calor e mimos em família, a inspiração e o tempo não têm sido muitos para vir escrever no blog. Também é preciso descansar a cabeça das redes socais, dos emails e mensagens. Sabe bem e faz bem! Com tanta exigência social e profissional é difícil separar o trabalho da família, mas as vezes tem que ser e as férias vão servir para isso mesmo. Não vou deixar de dar noticias até porque a qualquer momento temos uma índia que já anda :) Boas férias para quem já foi!

Até segunda!

Vem aí um fim-de-semana cheio de calor, festas, amigos mas também muito trabalho. Segunda-feira volto com novidades maravilhosas: uma imagem nova, um blog novo e muita emoção!
Conto com as vossas opiniões, sugestões e comentários!
Até segunda :)